Segunda Cátedra Lucasiana da Feluma e Faculdade Ciências Médicas – MG colocou em pauta o tema “Envelhecimento”.

25/06/2019

No dia 13 de junho, o auditório da Feluma, Fundação Educacional Lucas Machado, foi palco da segunda edição de 2019 da Cátedra Lucasiana da Feluma e da Faculdade Ciências Médicas, que trouxe o tema “Envelhecimento”. Um assunto importante para o Brasil que, já em 2020, terá cerca de 30 milhões de idosos, com tendência de crescimento dessa faixa etária a partir dos 60 anos e, neste cenário, conhecer melhor este público se torna uma necessidade.

Com base nisto foi proposto o tema e o professor doutor Geraldo Magela Gomes da Cruz abriu as palestras da noite com o painel “Abordagem biopsicossocial do envelhecimento”.  O catedrático colocou em pauta a pergunta “Como encarar o envelhecimento? ”, e ao longo da apresentação, respondeu a questão passando pelos três registros do ser humano: o biológico, o psíquico e o social.  O professor explicou que o biológico é o próprio envelhecimento do corpo, que vai mexer com o indivíduo, dentro dele, e na vida em sociedade.  No registro psíquico do idoso, destacou como as mudanças do corpo vão impactar na própria aceitação do envelhecimento e, no registro social, lançou outros 3 questionamentos: como é que eu me vejo velho? Como eu, velho, vejo a sociedade em que eu vivo? E o último: como é que a sociedade me vê como velho?

A segunda palestra da Cátedra foi dada pelo professor Dr. Ulisses Gabriel Vasconcelos Cunha, que abordou o tema “Avaliação do paciente idoso”. O geriatra destacou o idoso como um paciente que precisa ser olhado no todo, visto que os tratamentos têm que ser muito individualizados, e apontou como um erro a mania das pessoas de colocarem a culpa de alguns problemas na idade e com isso adiarem um diagnóstico precoce de alguma doença.

 

Depois, foi a vez do professor Dr. Carlos André Freitas dos Santos, de São Paulo e egresso da Faculdade Ciências Médicas, de subir ao palco para tratar do tema “Promoção da saúde do idoso”. O geriatra destacou que nesta fase da vida é muito importante uma alimentação rica em proteína associada a atividades físicas.  Ele explicou o que seria de fato a chamada “qualidade de vida”, que, para o idoso, pode ser alcançada desde que haja uma preocupação com a dieta e os movimentos que realmente estimulem respostas no corpo do idoso.

 

Ao final, os painéis apresentados foram comentados pela também geriatra Dra. Débora Pereira Thomaz que de forma muito descontraída chamou atenção para os idosos como uma parcela da população que merece, sim, cuidado especial, e está protegida, inclusive por um estatuto, assim como as crianças e os adolescentes. A médica frisou que para dar a assistência necessária é preciso também mais médicos na área. Hoje, são 1.200 geriatras para atender a uma população de idosos que está próxima dos 30 milhões.

 

Homenagens

 

A segunda Cátedra Lucasiana da Feluma e da Faculdade Ciências Médicas de 2019 também foi marcada por duas homenagens. A primeira foi dada ao Professor Eustáquio Afonso Araújo, em reconhecimento ao prêmio concedido pelo Conselho Americano de Ortodontia, e a segunda ao Advogado Doutor Leonardo Canabrava Turra, pelos relevantes serviços prestados à Instituição.

 

 

Voltar ao topo