Pós-graduação Ciências Médicas em DRG terá módulo prático em Portugal

14/12/2018

A Pós-graduação Ciências Médicas, por meio da Feluma, Fundação Educacional Lucas Machado, fechou parceria com o setor de saúdeda cidade de Matosinhos em Portugal, para oferecer aos alunos do curso de DRG (Grupo de Diagnóstico Relacionado) um estágio internacional. Uma oportunidade de ver a metodologia, aprendida no curso, aplicada na prática por uma localidade que adotou o modelo DRG há 30 anos.

O acordo de intercâmbio foi assinado com o diretor da Unidade Local de Saúde de Matosinhos, e também diretor do Hospital Pedro Hispano, Dr. Victor Emanuel Marnoto Herdeiro, que esteve em Belo Horizonte. A unidade de saúde local, que corresponderia a uma secretaria de saúde no Brasil, foi a primeira em Portugal a olhar a saúde de uma forma integrada entre cuidados primários e hospitalares, garantindo continuidade do cuidado ao longo de toda jornada do paciente.

“Somos um hospital muito diferenciado, mas nosso propósito é investir na prevenção e tratamento adequado da doença para que as pessoas precisem menos de cuidados hospitalares. Somos o primeiro país a introduzir os DRGs, que medem a complexidade dos atos e dão um valor homogenio a eles. Neste ponto de vista, melhora a qualidade assistencial, porque ao mesmo tempo impõe limites a internação, o paciente não tem alta antes do tempo, mas não fica mais tempo que o necessário no hospital”.

A proposta do curso de DRG da Pós-graduação Ciências Médicas é formar gestores que sejam capazes de organizar o sistema de saúde, incluindo o hospital, para oferecer uma medicina com resultados e sem desperdício. Renato Camargos Couto, coordenador da Pós-graduação de DRG, Gestão de Saúde e Gestão de Sistemas de Saúde, explica que para melhorar os resultados não adianta uma intervenção só no hospital, ela é uma intervenção no sistema de saúde que antecede e que sucede o próprio hospital.

“No estágio internacional em Matozinhos, encontramos uma proposta integrada, que permite organizar esse percurso do paciente ao longo do sistema de saúde. Lá eles conseguiram uma maneira de simplificar esta complexidade e, agora, os nossos alunos vão poder aprender lá e aplicar aqui no Brasil”.

Durante o período do curso em Portugal, os alunos vão ter a oportunidade de exercitar o diagnóstico, o planejamento e a execução das soluções já implementadas em Matosinhos, mas de uma forma que se adapte aos problemas daqui.

O curso de DRG tem duração de 18 meses, ao final os alunos podem optar pelo estágio internacional com duração de 5 dias. A disciplina é optativa e pode ser feita também, por alunos que já concluíram o curso.

 

Voltar ao topo