• 08/08/2019

    A iniciativa, entre os dias 05 e 10 de agosto, é resultado da parceria do Hospital Universitário Ciências Médicas e da Sociedade Brasileira de Hérnia da Parede Abdominal (SBH), que já promove esta inciativa em outros países. E agora em Minas Gerais, essa ação beneficia centenas de pacientes devidamente cadastrados no SUS e com perfil recomendado ao procedimento.

    O mutirão, que tem o apoio da ONG Hérnia International, consistirá na realização de 200 cirurgias. O Hospital Universitário Ciências Médicas, certificado ISO 9001 e de comprovada excelência assistencial, será responsável por atender 100 pacientes, oferecendo toda a estrutura de bloco cirúrgico, bem como participação da equipe médica de cirurgia da Unidade, que atuará junto a cirurgiões de outras regiões, cuja participação é voluntária. Os demais 100 atendimentos serão realizados pelo Hospital São Francisco também participante da parceria com a SBH.

    Dr. Antônio Carlos de Barros Martins, diretor geral do Hospital Universitário Ciências Médicas, destaca a importância dessa iniciativa para a população de Minas Gerais e também para o Hospital. “Além de estarmos ajudando a agilizar a fila de espera do SUS, o mutirão vai garantir melhor qualidade de vida para esses pacientes”.

    Esses procedimentos representam um benefício à saúde dos pacientes contemplados. A hérnia é um defeito nos músculos do abdome que permite que o intestino ou uma porção de gordura passe através dele. A forma de curá-las é a cirurgia.

    O presidente da Sociedade Brasileira de Hérnia da Parede Abdominal, Christiano Claus, conta que a ação é voluntária e humanitária, ou seja, os custos de viagem e hospedagem são de responsabilidade exclusiva do participante. “É uma missão voluntária e humanitária, que fará em uma semana o mesmo volume de procedimentos realizados em um ano nestas regiões”, completa Claus.

    Este é o 7º Mutirão realizado pela Sociedade Brasileira de Hérnia da Parede Abdominal. A ação é anual. Entre os estados que já receberam mutirões estão a Paraíba e o Rio de Janeiro.

    Números – Em todo o Brasil foram realizadas 281.392 operações de hérnia da parede abdominal, entre março de 2018 e março de 2019, de acordo com o DataSus. Destas, 11 mil na região sudeste e 89 no nordeste. Do total, apenas 1.745 (0,62%) foram realizadas de forma minimamente invasiva.

    “Técnicas menos agressivas de tratamento e novos materiais cirúrgicos têm sido cada vez mais utilizados para melhorar os resultados e beneficiar os pacientes”, explica o vice-presidente da SBH, Marcelo Furtado.

    As hérnias da parede abdominal afetam cerca de 20 a 25% da população adulta brasileira e representam a cirurgia mais realizada por cirurgiões gerais. Elas ocorrem principalmente na virilha (hérnia inguinal), no umbigo (hérnia umbilical) e no local onde foi realizada previamente uma cirurgia (hérnia incisional).

    A ONG Hérnia Internacional – A ONG Hérnia Internacional é uma instituição 100% voluntária que criou o projeto Operation Hernia (Operação Hérnia) há mais de 10 anos, com o objetivo de realizar missões humanitárias de cirurgia de hérnia. A ONG promove mutirões em cerca de 28 países, especialmente naqueles que possuem menos condições de acesso a sistemas de saúde como o Camboja, Quênia, Etiópia, Uganda e Paquistão.

    Jornada – Paralelamente ao Mutirão, a SBH promove no dia 08 de agosto, na Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais, a 4ª Jornada Sudeste de Hérnia. O objetivo é a atualização científica dos profissionais.

    Clique aqui e confira na matéria da Rede Record um pouquinho mais sobre esses procedimentos e como eles podem mudar a vida dos nossos pacientes atendidos no Hospital Universitário Ciências Médicas

  • 07/08/2019

    Clique aqui e acesse o edital de seleção de trabalhos científicos para o III Congresso Acadêmico de Oftalmologia – MG, a ser realizado nos dias 27 e 28 de setembro de 2019.

    Período para submissão de trabalhos: de 7/8 a 23/8.

  • 07/08/2019

    Jair Raso, professor da Faculdade Ciências Médicas e curador de arte e cultura da FELUMA, lança em BH, o livro de contos “O dia em que a música acabou”. Jair também é neurocirurgião, escritor e diretor de teatro.

    Data de lançamento do livro: 12 de agosto de 2019

    Local : Clube do Livro do Shopping Ponteio

    Horário: 19h

    :: Temática do livro:

     o título induz o leitor a um questionamento: o que aconteceu no “dia em que a música acabou”? No compasso dos 15 contos, o autor compõe suas histórias em um ritmo por vezes, pausado, por vezes, acelerado. O som, harmonioso ou dissonante, perpassa em vários contos. Ora nas notas do sucesso Hay Jude que acalentou o adolescente dividido entre os jogos de futebol e a primeira paixão juvenil. Ora no barulho de uma dor, história do primeiro conto.  Para Jair Raso, ”essa coletânea é uma seleção de contos escritos em cinco décadas de amor pela literatura”.

  • 06/08/2019

    A Feluma, Fundação Educacional Lucas Machado, por meio do Instituto de Cirurgia Robótica Ciências Médicas, participa nos próximos dias 12 e 13 de agosto, em Roma, na Itália, da 7ª Conferência Internacional em Informática Médica e Telemedicina. O evento, que reúne pesquisadores de informática médica e profissionais de mais de 40 países, traz este ano o tema “Tecnologias de informação inovadoras para a melhoria da assistência ao paciente”. Representando a Feluma, estarão presentes os cirurgiões robóticos José Eduardo Távora, Gustavo Cardoso Guimarães e Fernando Vasconcellos Santos, a Profa. Lamara Laguardia Valente Rocha, e o coordenador do Núcleo de Inovação, Prof. Paulo Roberto Alves Gentil, que vão ministrar palestra sobre o projeto de Telemedicina da Fundação.

    Este projeto começou a ser desenvolvido pela Instituição em 2016 com a implantação das plataformas de cirurgia robótica nos hospitais parceiros Felício Rocho, Hospital Vera Cruz, e Hospital Vila da Serra, um programa pioneiro e de comprovado sucesso em Minas Gerais que já realizou mais de 1.100 procedimentos. E agora, a Feluma amplia a iniciativa ao triângulo mineiro, por meio da parceria com o Hospital Uberlândia Medical Center, que também passar a contar com o equipamento robótico, cujo início de utilização está previsto para meados deste mês de agosto, quando será realizada a primeira cirurgia utilizando o método altamente moderno.

    Dentro do projeto, também estão sendo desenvolvidos aplicativos e plataformas on-line que vão permitir aos profissionais de saúde, que trabalham longe dos grandes centros, a troca de informações com outros colegas e peritos em diferentes áreas da medicina. 

    Os estudos passam ainda pela inteligência artificial, que irá ajudar o médico nos possíveis diagnósticos em consulta feita pela plataforma, garantindo maior acesso aos pacientes, bem como otimizando o tempo do médico, proporcionado maior assertividade no diagnóstico e na conduta do tratamento.

     Os participantes do evento também vão conhecer dentro deste projeto de Telemedicina da Feluma, um trabalho pioneiro no Brasil e na América Latina no processo de ensino e aprendizagem, desenvolvido por outras duas instituições ligadas à fundação. A Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais que oferece aos graduandos de medicina, disciplina optativa em Cirurgia Robótica e também, nesta área, a Pós-graduação Ciências Médicas que treina cirurgiões de todo o país.

     A participação da Feluma na 7ª Conferência Internacional é uma oportunidade de troca de experiências e aprimoramento no campo da tecnologia educacional e formação em saúde.

     

  • 23/07/2019

    Vivemos em um mundo de transformação onde diversas profissões desapareceram e novas profissões surgem. Esta é a especialização que te prepara para o mais novo ramo de gestão de saúde no Brasil.

    O curso DRG do Brasil – Gestão de Sistemas de Saúde tem como objetivo entender a metodologia DRG (Diagnosis Related Groups – Grupos de Diagnósticos Relacionados) e suas aplicabilidades no sistema de saúde brasileiro capacitando o aluno a realizar Gestão de Saúde com foco em resultados assistenciais econômicos.

    Coordenação: Dr. Renato Camargos Couto e Dra. Tania Moreira Grillo Pedrosa

    Mais informações, acesse a página do curso DRG do Brasil – Gestão de Sistemas de Saúde

     

    Conheça um pouco mais sobre o curso no vídeo

Voltar ao topo