• 30/09/2019

    Novo teatro busca fomentar as artes e integrá-las à formação e ao ensino acadêmico

     

    Belo Horizonte está prestes a ganhar mais um espaço cultural. A inauguração será realizada no dia 2 de dezembro, por iniciativa da Fundação Educacional Lucas Machado (FELUMA), mantenedora da Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais (FCM-MG). O Teatro FELUMA está localizado no terraço da FCM-MG (Alameda Ezequiel Dias, 275, 7º andar – Centro, BH) e se encontra em fase final de instalação. Será composto pela sala Geraldo Magela Gomes da Cruz – preparada para receber espetáculos teatrais, musicais e de dança –, sala para ensaios, cafeteria e amplo hall, com estrutura para exposições artísticas e lançamentos literários.

    Segundo o presidente da FELUMA, Dr. Wagner Eduardo Ferreira, o teatro trará um enorme ganho cultural para artistas, produtores culturais e cidadãos belo-horizontinos. “Vamos abrir o espaço para os artistas do Estado e fomentar todos os segmentos da cultura. A ideia é que o local tenha um valor de utilização acessível, para que produtores viabilizem eventos”, afirma. Outro objetivo da Fundação é utilizar o espaço cultural também para a realização de seminários, congressos científicos e outras atividades acadêmicas.

    A curadoria do Teatro FELUMA é do neurocirurgião Prof. Dr. Jair Raso, que, além de lecionar na FCM-MG, é escritor, dramaturgo e diretor teatral, autor de vários textos encenados, como Chico Rosa, Três Mães, A corda e o Livro, Julia e a Memória do Futuro e DDD: Deleite Depois Delete (Grupo Med&Cena). Para ele, a formação científica é tão necessária ao profissional da saúde quanto as questões humanas e, nesse sentido, a cultura tem papel fundamental. “Temos a convicção de que a Medicina e o Teatro se encontram na admiração pela novidade e no respeito pelas tradições. O Teatro ensina ao médico a hora de calar e a hora de falar e facilita a compreensão do contexto do paciente e de seus familiares”, afirma o professor.

    Rômulo Duque, presidente do Sindicato dos Produtores de Artes Cênicas de Minas Gerais (Sinparc), comemora o anúncio, principalmente em um momento em que salas de teatro estão sendo fechadas em BH. “Há uma carência de espaços adequados aos artistas e produtores culturais da cidade. Não adianta ter um grande teatro com 800 lugares se o custo é muito alto. Temos que aplaudir essa iniciativa da FELUMA.” Para Maria Magdalena Rodrigues da Silva, presidente do Sindicato dos Artistas e Técnicos de Espetáculos de Minas Gerais, a estrutura do local será importante para resgatar a sinergia entre os integrantes da classe artística do Estado. “Teremos mais uma oportunidade para nos aproximar novamente, pois o teatro vai ser um ponto de encontro e interação.”

     

    Integração entre as artes e as ciências médicas

     

    Além de oferecer um novo espaço cultural para a cidade, a FELUMA quer incluir a atividade cultural no dia a dia da comunidade acadêmica, formada por mais de duas mil pessoas, entre alunos, professores e colaboradores. O objetivo, segundo o Prof. Dr. Jair Raso, é fazer da cultura e das artes um instrumento a mais para a formação humanística do profissional de saúde.

    “Queremos criar uma pauta de ocupação e de criação, com atrações culturais do nosso meio artístico. Além disso, pensamos em utilizar o espaço para estimular e promover encontros entre os estudantes e os artistas, por meio de debates e oficinas relacionados às artes cênicas.”

     

    Estrutura do Teatro Feluma

     

    Em fase final de instalação, a estrutura do Teatro FELUMA apresenta alto padrão de acabamento e recursos para oferecer a melhor experiência de utilização tanto para a plateia quanto para os profissionais envolvidos nos eventos. O espaço possui mais de 400 lugares, poltronas modernas e confortáveis; sistema de áudio e vídeo de última geração, com três projetores a laser e automação; streaming e captura de áudio e vídeos para transmissões; tradução simultânea; iluminação cênica; acústica especial; palco em 14m de boca de cena e preparado para vários perfis de espetáculos; sala para ensaios; sala de imprensa; bilheteria; hall amplo e estruturado para exposições, mostras e coquetéis; camarim; acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida e obesas; estacionamento com acesso direto ao Teatro. O projeto é assinado pela arquiteta Ana Machado e pela engenheira Cristina Resende.

     

    A FELUMA

     

    A Fundação Educacional Lucas Machado (FELUMA) é uma Instituição filantrópica de direito privado, sem fins lucrativos. Tem como finalidade geral o desenvolvimento e a manutenção de atividades voltadas para a educação, saúde, assistência social e pesquisa no campo das ciências exatas, humanas e biológicas, com vistas ao atendimento de demandas sociais as mais diversas. Para tanto, mantém vários institutos, entre eles a Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais (FCM-MG).

    A FELUMA possui forte vocação e o propósito de propiciar ensino e formação multidisciplinar e acredita que o aprendizado pode ser ampliado por meio da associação entre cultura e educação. Por isso, a Instituição investe na construção do Teatro FELUMA, localizado dentro da própria Faculdade.

     

     

    Clique aqui e faça o download das imagens.

  • 18/09/2019

    Você gosta de correr ou caminhar em ambientes arborizados? Então venha com a gente para a 6ª edição da Corrida e Caminhada Ciências Médicas! O evento acontecerá no dia 19 de outubro, de 7h às 12h, no Parque Municipal Américo Renné Giannetti

    Além de stands interdisciplinares, onde os alunos e professores da faculdade prestam atendimento à população com aferição de glicemia e pressão, aplicação de bandagens elásticas, verificação da pressão ocular e teste da pisada, o evento oferece aos atletas kits com brindes exclusivos.

    A Corrida foi idealizada pela Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais (FCM-MG), organização referência em saúde no estado. O evento faz parte do projeto Saúde e Bem-Estar da instituição, que busca despertar o interesse do público em praticar atividades físicas, cuidar do bem-estar e se conscientizar sobre a importância de ter hábitos saudáveis.

    O percurso será demarcado a cada quilômetro e acompanhado por alunos e professores da faculdade, responsáveis por garantir o bem-estar dos atletas. Cada participante receberá um kit com sacochila, camisa e brindes, além de terem acesso a um chip eletrônico que controlará o tempo e as voltas. Assim, o evento é aberto a todos os amantes do esporte, que poderão escolher entre as seguintes modalidades:

     

    • Corrida de 5 km (3 voltas)
    • Corrida de 10 km (6 voltas)
    • Caminhada de 1.600 m (1 volta)

     

    As inscrições já estão no último lote, pelo valor de R$ 90,00 para o público externo, e R$ 65,00 para alunos, professores e colaboradores da CMMG, e se estendem até o dia 18 de outubro. Então não perca essa oportunidade e garanta seu lugar na 6ª Corrida e Caminhada Ciências Médicas! 

    Clique aqui e faça agora mesmo a sua inscrição!

  • 02/09/2019

    Com objetivo de oferecer formação e especialização dos médicos e propiciar atendimento cirúrgicos de alta tecnologia, a Fundação educacional Lucas Machado (Feluma), em parceria com a Unidade Hospitalar do UMC – Uberlândia Medical Center, implanta a Cirurgia Robótica em Uberlândia. Um recurso avançado com atributos que beneficiam expressivamente o paciente e a atuação médica.

     

    No sábado, 31/08, Dr. Marcelo Takeo, Cirurgião Urologista do UMC, realizou, junto com a equipe médica, procedimentos cirúrgicos, por meio do Robô Da Vinci, no UMC.  Ao levar tecnologia de ponta para o Triângulo Mineiro, o Instituto de Robótica Ciências Médicas (Mantenedora Feluma) amplia oferta de robôs em hospitais e já ultrapassa mais de 1.100 procedimentos realizados, desde a criação há dois anos e meio.

     

    Para o UMC, a novidade vem de encontro ao processo de inovação contínua que é um dos pilares deste que é o primeiro centro de saúde multiplex da região. Um complexo de saúde que reúne unidade hospitalar, centro clínico, laboratórios e alameda de serviços, convergindo diversas especialidades e conveniências para pacientes e corpo clínico.

     

    A cirurgia robótica é um tipo de procedimento em que o médico utiliza um sistema robótico, com visualização tridimensional e alta definição, para reproduzir todas as características de uma cirurgia aberta convencional. Esta tecnologia representa o que há de mais avançado no campo da cirurgia minimamente invasiva, proporcionando inúmeras vantagens para os profissionais e benefícios vitais para os pacientes como um maior conforto e redução da dor; melhores resultados funcionais; a redução do tempo de hospitalização e internação; e menor risco de infecção hospitalar.

     

    Diante dos benefícios da implementação da tecnologia robótica, por meio desta parceria, a Unidade Hospitalar do UMC e a Fundação Educacional Lucas Machado (Feluma) contribuem para a formação dos médicos, a elevação da qualidade assistencial prestada pelo Hospital, propiciando recuperação e elevando a qualidade de vida dos pacientes. Desta forma, agrega alto padrão tecnológico e cientifico à prática médica.

    Foto: Presidente da Feluma, Wagner Eduardo Ferreira; o Secretário Adjunto de Saúde  de MG, Dr. Bernardo Fornaciari; Diretor Administrativo do UMC, Dr. Alexandre Menezes; Cirurgião Urologista do UMC, Dr. Marcelo Takeo.

  • 28/08/2019

    A Faculdade Ciências Médicas recebeu, no dia 20 de agosto, os egressos da primeira turma de Fisioterapia formada na Faculdade no ano de 1972.

    Os Fisioterapeutas foram recepcionados no Centro de Memória, onde puderam se reencontrar e resgatar várias lembranças daquela época. Em seguida, foram convidados a visitar as diversas áreas da Faculdade. A visita foi permeada de emoção e reencontros com resgate de vivências.

    A diretoria da Feluma e da FCMMG, alunos, professores e convidados recepcionaram os egressos no auditório. Na ocasião, houve uma apresentação do Prof. Doutor Geraldo Magela, abordando os 50 anos de história do 1º curso de Minas Gerais. O Dr. Michel Bedran, egresso da primeira turma 1972, também deu seu depoimento repleto de lembranças, uma delas foi sobre a presença ilustre do Vice-presidente da República que foi o Paraninfo da turma, fato esse muito comentado na época.

    Este evento deu início as comemorações dos 50 anos do curso de Fisioterapia da FCM-MG.

     

  • 08/08/2019

    A iniciativa, entre os dias 05 e 10 de agosto, é resultado da parceria do Hospital Universitário Ciências Médicas e da Sociedade Brasileira de Hérnia da Parede Abdominal (SBH), que já promove esta inciativa em outros países. E agora em Minas Gerais, essa ação beneficia centenas de pacientes devidamente cadastrados no SUS e com perfil recomendado ao procedimento.

    O mutirão, que tem o apoio da ONG Hérnia International, consistirá na realização de 200 cirurgias. O Hospital Universitário Ciências Médicas, certificado ISO 9001 e de comprovada excelência assistencial, será responsável por atender 100 pacientes, oferecendo toda a estrutura de bloco cirúrgico, bem como participação da equipe médica de cirurgia da Unidade, que atuará junto a cirurgiões de outras regiões, cuja participação é voluntária. Os demais 100 atendimentos serão realizados pelo Hospital São Francisco também participante da parceria com a SBH.

    Dr. Antônio Carlos de Barros Martins, diretor geral do Hospital Universitário Ciências Médicas, destaca a importância dessa iniciativa para a população de Minas Gerais e também para o Hospital. “Além de estarmos ajudando a agilizar a fila de espera do SUS, o mutirão vai garantir melhor qualidade de vida para esses pacientes”.

    Esses procedimentos representam um benefício à saúde dos pacientes contemplados. A hérnia é um defeito nos músculos do abdome que permite que o intestino ou uma porção de gordura passe através dele. A forma de curá-las é a cirurgia.

    O presidente da Sociedade Brasileira de Hérnia da Parede Abdominal, Christiano Claus, conta que a ação é voluntária e humanitária, ou seja, os custos de viagem e hospedagem são de responsabilidade exclusiva do participante. “É uma missão voluntária e humanitária, que fará em uma semana o mesmo volume de procedimentos realizados em um ano nestas regiões”, completa Claus.

    Este é o 7º Mutirão realizado pela Sociedade Brasileira de Hérnia da Parede Abdominal. A ação é anual. Entre os estados que já receberam mutirões estão a Paraíba e o Rio de Janeiro.

    Números – Em todo o Brasil foram realizadas 281.392 operações de hérnia da parede abdominal, entre março de 2018 e março de 2019, de acordo com o DataSus. Destas, 11 mil na região sudeste e 89 no nordeste. Do total, apenas 1.745 (0,62%) foram realizadas de forma minimamente invasiva.

    “Técnicas menos agressivas de tratamento e novos materiais cirúrgicos têm sido cada vez mais utilizados para melhorar os resultados e beneficiar os pacientes”, explica o vice-presidente da SBH, Marcelo Furtado.

    As hérnias da parede abdominal afetam cerca de 20 a 25% da população adulta brasileira e representam a cirurgia mais realizada por cirurgiões gerais. Elas ocorrem principalmente na virilha (hérnia inguinal), no umbigo (hérnia umbilical) e no local onde foi realizada previamente uma cirurgia (hérnia incisional).

    A ONG Hérnia Internacional – A ONG Hérnia Internacional é uma instituição 100% voluntária que criou o projeto Operation Hernia (Operação Hérnia) há mais de 10 anos, com o objetivo de realizar missões humanitárias de cirurgia de hérnia. A ONG promove mutirões em cerca de 28 países, especialmente naqueles que possuem menos condições de acesso a sistemas de saúde como o Camboja, Quênia, Etiópia, Uganda e Paquistão.

    Jornada – Paralelamente ao Mutirão, a SBH promove no dia 08 de agosto, na Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais, a 4ª Jornada Sudeste de Hérnia. O objetivo é a atualização científica dos profissionais.

    Clique aqui e confira na matéria da Rede Record um pouquinho mais sobre esses procedimentos e como eles podem mudar a vida dos nossos pacientes atendidos no Hospital Universitário Ciências Médicas

Voltar ao topo